De acordo com um ranking divulgado pela Global Wind Energy Council (GWEC), o Brasil se tornou o líder na produção de energia eólica na América Latina, e está na 5ª posição no ranking mundial de capacidade instalada no ano passado.

 

Segundo a organização, que é especializada em energia eólica, houve uma expansão de 2.014 megawatts na geração desse tipo de energia no país em 2016, que também passou a ocupar uma nova colocação no ranking mundial de capacidade acumulada de geração eólica igual a 10.740 megawatts.

 

A perspectiva para o setor elétrico brasileiro para os próximos anos é que haja uma maior diversificação de fontes energéticos, com tarifas mais baratas e energia limpa de melhor qualidade para a população brasileira. “O Brasil tem sido muito proativo em fontes renováveis, tanto eólica como solar, e tem um programa ambicioso de aumentar essa participação da energia eólica na matriz energética do País”, pontuou o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Fábio Lopes Alves, em entrevista ao site Portal Brasil.

 

Energia eólica - 3S ProjetosDesde 2015, o Brasil assumiu um compromisso internacional na COP 21 – Conferência das Partes, que aconteceu em Paris e busca alcançar acordos sobre o clima – de aumentar para 33% o uso de fontes renováveis, além da energia hídrica, até 2030, que podem ser eólicas, solar ou de biomassa.

 

Hoje, mais de 7% de toda a energia produzida no Brasil é oriunda do vento, e a tendência é que a geração dessa fonte renovável aumente nos próximos anos, o que traz diversos benefícios para a população, como a preservação do meio ambiente e a diminuição dos custos de geração de energia no país, já que ela é mais barata em comparação com a gerada em usinas hidrelétricas.

 

Energia Eólica: Nordeste na liderança

O maior polo de geração de energia eólica continua a ser o Nordeste, beneficiado pelas temporadas de ventos fortes, principalmente no Rio Grande do Norte. Apenas no ano passado, o estado gerou 1,206 megawatts médios no período. Inclusive, 50% da energia gerada por lá é eólica, e a tendência é que isso cresça, e com o tempo contemple também outros empreendimentos solares para usar o máximo possível em energia renovável.

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério de Minas e Energia, Aneel e Global Wind Energy Council

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *