Internet das Árvores - 3S Projetos

Nenhuma árvore é uma ilha. Cada árvore evoluiu nos últimos milhares de anos fazendo parte de uma floresta. Agora, especialistas confirmam que existe uma conexão entre as árvores da floresta, que ajudam a mantê-las saudáveis. O especialista em florestas alemão Peter Wohlleben é o responsável pelo estudo sobre a fisiologia e o comportamento das espécies de grande porte nas florestas tropicais.

 

Wohlleben uniu-se à ecologista canadense Suzanne Simard para gravar um documentário chamado “Árvores inteligentes”, que explora a conexão entre as árvores de uma floresta. Suzanne, pesquisadora da Universidade de British Columbia, já publicou um trabalho explicando o funcionamento das redes de comunicação e troca de substâncias entre árvores.

 

Segundo a dupla, as árvores são de vida social complexa, trocam nutrientes e até informações entre si, cuidam das árvores mais jovens, e combatem invasores que podem causar doenças de forma coordenada, parecendo ser capazes inclusive de aprender. Tudo isso é possível graças ao que pesquisadores tem chamado de “wood wide web”, ou rede da floresta. Essa rede, que se assemelha à nossa internet, estabelece uma densa trama de conexões entre as raízes das árvores e de certos fungos.

 

Internet das Árvores - 3S Projetos

Funciona da seguinte maneira: escondido abaixo do solo existe um labirinto de fungos, chamado de rede micorriza. Essa rede permite que os nutrientes sejam transferidos de uma planta para a outra. Árvores mais velhas podem ajudar as mais novas, e árvores que fazem fotossíntese com mais eficiência podem transferir um pouco desses nutrientes para árvores doentes. Espécies que estão morrendo na região por pragas ou mudança climática podem enviar nutrientes para espécies mais resistentes antes de morrer, “avisando-as”.

 

Nas savanas da África, quando girafas mastigam muitas folhas das acácias, essas árvores começam a liberar gás etileno, que é captado pelas acácias vizinhas. Elas percebem que está na hora de bombear mais toxinas para as folhas, para desencorajar o apetite das girafas, protegendo assim toda a comunidade. “Árvores são mais do que organismos que produzem oxigênio ou limpam o ar para nós. Elas são seres individuais que têm sentimentos, que conhecem amizade, têm uma linguagem comum e cuidam umas das outras”, explica o cientista alemão.

 

Parece difícil acreditar que isso esteja acontecendo nesse exato momento, mas segundo o pesquisador, é em parte por causa da nossa tendência a avaliar outros seres vivos baseado no nosso próprio organismo. Mas o que chamamos de “inteligência das árvores” pode ser observado em todas as florestas do mundo, e é essa inteligência que permitiu a evolução constante das espécies e a adaptação a mudanças climáticas e à ação do homem.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *