Os pallets ficaram famosos na internet por se tratarem de materiais em desuso que estão sendo reaproveitados para compor decorações rústicas. Agora, a empresa holandesa CocoPallet reinventa esse mercado ao produzir pallets recicláveis desde o início, através de cascas de coco. E o melhor: os produtos são muito mais duráveis e até resistentes ao fogo.

 

As cascas de coco já são utilizadas na produção de diversos materiais, como cordas, vasos e tapetes, que são criados utilizando as fibras do coco. Mas agora, a empresa holandesa aperfeiçoou o processo, tendo como inspiração uma técnica primitiva utilizada na Indonésia. O conceito foi desenvolvido em uma parceria da CocoPallet com a Universidade de Wageningen.

 

Para produzir o pallet, a CocoPallet utiliza uma macromolécula chamada lignina como aglutinante natural, de forma que não há necessidade de resinas sintéticas, como as usadas normalmente em pallets de madeira. O processo de fabricação também é livre de pesticidas e de aditivos, e o resultado disso é um pallet totalmente biodegradável. Isso significa que apesar de ser feito para exportação, quando ele estiver desgastado e sem uso, pode ser triturado, reciclado ou compostado. Inclusive, a companhia está desenvolvendo maneiras de usar os pallets como fertilizantes para o solo.

 

Geração de Renda e Sustentabilidade

Segundo a CocoPallet, cerca de 1.7 bilhões de pallets de madeira são produzidos anualmente, causando o uso desnecessário de aproximadamente 200 milhões de árvores por ano. Essas árvores podem ser poupadas com a solução. “Compramos a casca de coco dos agricultores, criando uma renda extra na base da pirâmide. Os fazendeiros param de queimar as cascas de coco, o que reduz a poluição do ar. Nossos CocoPallets substituem os pallets de madeira e menos árvores precisam ser cortadas para esse fim”, explica a empresa.

 

Sem perder a qualidade de resistência, os pallets de coco também ocupam menos espaço, sendo mais compactos. Uma pilha de 20 pallets ecológicos mede cerca de 0,75m de altura, enquanto a mesma quantia dos tradicionais mede 2,70m.

 

Outro ponto interessante, é que a empresa usa biomimética (estudo das estruturas biológicas) em seus projetos. “A ideia central é que a natureza já resolveu muitos dos problemas com os quais estamos lutando. Animais, plantas e micróbios são os engenheiros mais inteligentes no desenvolvimento de estruturas, superfícies, processos”, explica a companhia em seu site.

 

Fonte: CicloVivo

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *