Durante o período de 14 de junho a 14 de julho, o Memorial da América Latina recebe a exposição de artes plásticas Ver e Viver, um projeto de arte sensorial inclusivo que levará seus visitantes a experimentar estímulos como o tato, olfato, audição e paladar, muito além da visão. A exposição pode ser visitada de quarta a domingo, das 10h às 22h, no Espaço Multiuso.

 

A temática proposta pela exposição Ver e Viver é utilizar a força mobilizadora da arte para provocar uma reflexão sobre as deficiências, principalmente a visual. Para isso, todos os visitantes receberão uma venda descartável, e terão contato com obras que aguçam todos os sentidos. No dia de encerramento da exposição, haverá também um debate com o tema “Maneiras e possibilidades de inserir a arte na vida de quem possui deficiência”.

 

A relevância cultural dessa exposição justifica-se pelo caráter contemporâneo das obras e pela característica tridimensional, que proporciona acesso tátil às mesmas. O resultado artístico é o diálogo direto com o visitante: provoca uma reflexão sobre as dificuldades da deficiência visual e exerce a empatia, tudo através do toque, o que nem sempre é autorizado em galerias de arte.

 

O foco da exposição, produzida pelos artistas Jésus Seda e Clara Aidar, é apresentar um ambiente inclusivo, que pode ser apreendido por pessoas com e sem deficiência. A exposição permite que todos enxerguem as esculturas com as mãos, sintam seu cheiro e ouçam a explicação textual das obras. Haverá também a presença de monitores que são deficientes visuais, capacitados para receber e guiar os visitantes.

 

A exposição Ver e Viver é uma realização do Ministério da Cidadania por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com produção da 3S Produções, apoio do Memorial da América Latina.

 

Serviço – A exposição Ver e Viver terá abertura na sexta-feira, dia 14 de junho, e fica aberta à visitação de quarta a domingo, até 14 de julho, das 10h às 22h, no Espaço Multiuso do Memorial da América Latina (Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda). A entrada é gratuita e livre para todos os públicos.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *